6 de ago de 2007

Sabetai Calderoni - Os bilhões perdidos no lixo.

Brasil joga fora R$ 4,6 bilhões

Bilhões de reais são perdidos no Brasil pela não reciclagem de lixo. Mais especificamente, R$ 4,6 bilhões só em 1996, segundo cálculo do economista Sabetai Calderoni, autor do livro "Os Bilhões Perdidos no Lixo" (Ed. Humanitas, USP, 1997).

Diante das iniciativas tímidas e das constantes alegações de que reciclar lixo "não compensa", Calderoni calculou o desperdício do brasileiro considerando todos os ganhos possíveis - desde a simples venda do material para o atravessador até as economias energéticas, de recursos hídricos e de controle ambiental. O resultado foi a cifra bilionária, que ganha outro significado quando associada à quantia equivalente para usos mais nobres (ver quadro)

O economista observa que, restrita ao âmbito municipal, a coleta seletiva é onerosa aos cofres públicos e parece, em primeira análise, não ser compensadora. "No que se refere à questão da reciclagem do lixo, os fatos são claros: na esfera federal, não existe uma política nacional de resíduos sólidos. O mesmo se verifica no plano estadual", afirma, em artigo publicado no livro "Coleta Seletiva de Lixo: Experiências Brasileiras" (UFF/CIRS, 1998). Calderoni propõe "uma postura em que não haja apenas uma atuação na órbita municipal, mas onde passe a haver, também, uma atuação nas esferas estadual e federal".

Trata-se, portanto, de decisão política que cabe à sociedade cobrar. Nos municípios, a implantação e ampliação de programas de coleta seletiva pode render até R$ 135,00 por tonelada, nos cálculos do economista - valor aplicado na remuneração das pessoas envolvidas e gastos operacionais. Isso significaria também a diminuição dos gastos das prefeituras com coleta, transporte, transbordo e disposição final do lixo domiciliar não separado. Além de tudo, a adesão da população à coleta seletiva proporcionaria a obtenção de produtos recicláveis com menor grau de impurezas, o que elevaria seu valor de mercado. Em síntese: não reciclar é jogar dinheiro no lixo. Literalmente.

R$ 4,6 bilhões equivalem a...

* 433 mil carros populares (de R$ 15 mil)
* 460 mil casas populares (de R$ 10 mil)
* 46 milhões de cestas básicas (em Florianópolis)
* 77% do valor arrecadado em um ano com a CPMF


O que se perde nos aterros e lixões do País:

VIDRO - A produção de vidro pela reciclagem reduz em 20% a poluição do ar e em 50% a poluição da água relacionadas à produção.

LATA DE ALUMÍNIO - A reciclagem de uma lata de alumínio dá origem a uma nova lata de alumínio, economizando energia suficiente para deixar acesa uma lâmpada de 100 watts por 20 horas.

PAPEL - Uma tonelada de papel reciclado economiza 10 mil litros de água e evita o corte de 17 árvores.

PLÁSTICO - Cada 100 toneladas de plástico reciclado economiza 1 tonelada de petróleo.

LIXO - A incineração de 10 mil toneladas de lixo cria um emprego, o aterramento da mesma quantidade cria seis empregos e a reciclagem desse montante de lixo cria 36 empregos.

MERCADO DE RECICLÁVEIS

PAPEL E AFINS
Papelão (aparas) .................................................................... 120,00
Jornal ........................................................................................ 60,00
Apara branca de 1a ............................................................... 400,00
Apara branca de 2a ............................................................... 300,00
Misto ......................................................................................... 50,00
Embalagem longa vida (tetra brik) ....................................... 60,00

VIDRO
Incolor ou Colorido ................................................................. 65,00
Misto ........................................................................................ 60,00

ALUMÍNIO
Latinha ................................................................................... 720,00

PLÁSTICOS
POLIETILENO, POLIESTIRENO, POLIPROPILENO
Granulado preto ..................................................................... 800,00
Plástico filme granulado ........................................................ 900,00
Plástico filme prensado .......................................................... 200,00
Frasco (sem tampa) ............................................................... 200,00
PET
Incolor (prensado) ................................................................. 250,00
Verde (prensado) ................................................................... 200,00

METAIS FERROSOS
Lata de flandres (aço) ............................................................. 40,00
Sucata ferrosa (densa) ............................................................ 60,00

Preço médio pago pelas indústrias (R$/tonelada)


........................................................................................................................................................................

Saiba mais:
http://www.sfiec.org.br/iel/bolsaderesiduos/Artigos/artigo_lado_b.pdf.

Um comentário:

Enio Raffin disse...

Mais Informações sobre este assunto no site http://www.mafiadolixo.com/

:: Talento Ambiental / Environment Talent